Artigos e Entrevistas

Poesia: Um Espaço de Liberdade

Roseana Murray

Uma autora que encontra inspiração na própria infância, nas conversas com a criança solitária e sonhadora que foi

Seu primeiro livro de poesia foi Fardo de Carinho, em 1980. Roseana Murray é autora de várias obras para crianças, entre elas os livros de contos O Buraco no Céu, Retratos, Uma História de Fadas e Elfos e um Cachorro para Maya. Conquistou, em 1990, o prêmio Associação Paulista de Críticos de Arte, pelo livro Artes e Ofícios, e em 1993, o prêmio Luiz Jardim – Menção Honrosa, concedido pela União Brasileira de Escritores para o livro O Fio da Meada. Roseana Murray é uma das principais autoras contemporâneas de poesia infantil; seus livros mais recentes são Jardins, Manual da Delicadeza e Caminhos da Magia. Recentemente lançou um e-book ilustrado, Babel, um conto de Natal, no site Doce de Letra, sendo o primeiro e-book ilustrado do Brasil!

Pré-Texto: Fale da presença de sua infância em sua obra.
Roseana Murray: Minha infância se passou na década de 50, dentro do Sítio do Pica-pau Amarelo. Fui uma criança solitária e sonhadora. Acho que é com esta criança que eu converso quando escrevo.
Pré-Texto: Em que medida o verso educa, sensibiliza e ela­bora novos sentidos na sala de aula?
Roseana: A poesia expande a consciência, trabalha com o abstrato, faz voar. A poesia é terapêutica.
Pré-Texto: Qual a contribuição da poesia para o trabalho do professor em sala de aula?
Roseana: A poesia é a janela aberta por onde entra o ar. O professor deve lutar por este espaço de liberdade.
Pré-Texto: Narre uma experiência pedagógica desenvolvida a partir de um livro ou poema seu.
Roseana: Meus livros são trabalhados em todo o Brasil. Em Arraial do Cabo R.J, um Clep fez instalações a partir dos meus poemas. Montou até uma padaria com as crianças fazendo um pão de verdade! A poesia oferece infinitas possibilidades.
Pré-Texto: Como a leitura pode ser vivenciada no cotidiano escolar? O que são as rodas de leitura?
Roseana: A leitura não pode ser um evento, ela tem que ser cotidiana, como um alimento. As rodas têm um leitor guia, um texto que os adolescentes acompanham e se possível devem ser vivenciadas fora da sala de aula. Depois da leitura do texto, o leitor guia discute o texto com os jovens leitores.
Pré-Texto: Qual é a importância da leitura para a formação do aluno?
Roseana: A leitura é a atividade humana mais importante para a formação do ser. Deveria vir sempre em primeiro lugar e não teríamos as estatísticas tão tristes ano após ano. Nossas crianças e jovens não estão entendendo o que lêem.